reprodução automática próximo vídeo em 5s

Pais e alunos dizem não acreditar que garoto matou família

A escola onde estudava Marcelo Pesseghini, o garoto de 13 anos acusado de matar a família em São Paulo, retomou as aulas nesta segunda-feira (12), uma semana após o crime. Pais e alunos entrevistados pela reportagem do UOL disseram não acreditar que Marcelo matou a família e depois cometeu suicídio, na semana passada no bairro da Brasilândia, zona norte de São Paulo. Segundo a polícia, o garoto matou o pai, o sargento da Rota (tropa de elite da Polícia Militar paulista) Luís Marcelo Pesseghini, 40, a mãe, a cabo da PM Andreia Pesseghini, 36, a avó e a tia-avó. Depois, ele teria se matado. Visite o UOL Notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos