reprodução automática próximo vídeo em 5s

Falar em prisão de Lula é ato político e não faz sentido, diz seu advogado

O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em processos da Operação Lava Jato, disse em entrevista ao UOL nesta quinta-feira (11) em São Paulo que pedir a prisão do petista é um ato de cunho político, "ou até de pessoas desinformadas", que não faz sentido.

"Ao nosso ver, realmente não tem o menor sentido pessoas falarem de prisão. Ao meu ver, é uma manifestação muitas vezes de cunho político ou até de pessoas desinformadas. Quando você pergunta ‘por é que tem de ser preso’, a maior parte das pessoas sequer sabe responder. Aliás, muitas pessoas sequer sabem a acusação que existe contra o ex-presidente Lula", afirmou.

Entre outros processos, Zanin defende Lula no chamado caso do tríplex, em que o ex-presidente será julgado em segunda instância no dia 24. Na primeira instância, ele foi condenado a nove anos e meio de prisão pelo juiz Sergio Moro, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A confirmação da punição pode tornar o petista inelegível -- ele é líder em pesquisas eleitorais -- e até mesmo levá-lo à prisão.

A defesa nega que haja provas dos crimes atribuídos a Lula e diz que evidências de sua inocência foram ignoradas.

"A estrutura do crime de corrupção passiva exige, de um lado, que o funcionário público pratique atos da sua competência, e exige, em contrapartida, vantagens indevidas. E não há nada no processo que possa demonstrar uma situação como essa", disse Zanin.



UOL Cursos Online

Todos os cursos